Uma soldado identificada como Tatiane Alves Lima, que estava lotada no 3º Batalhão da Polícia Militar em Imperatriz, fez denúncias graves envolvendo abusos de autoridade, humilhação e perseguição dentro da própria corporação.

Psicologicamente abalada ela chora ao fazer os relatos através de um vídeo. Segundo ela, já foi presa duas vezes, humilhada e constrangida por superiores.

Outra denúncia grave feito por ela é a transferência de policiais militares, sem motivo algum, para cidades distantes, apenas por perseguição. Em um segundo vídeo, ela afirma não ter mais condições de trabalhar e que dezenas de colegas de profissões estão na mesma situação.  Veja abaixo.