Indicada por Duarte Jr, após sua saída para disputar a eleição de 2018, Karen Barros desfrutava de um cargo privilegiado, seu namorado, Duarte, foi um dos únicos eleito na base governista que, sem ter que voltar para o posto no governo, manteve uma indicação sua. Karen ao assumir o Procon, recebeu o órgão em seu auge, devido ao destaque que o então ex-presidente conseguiu colocá-lo, transformando um mero departamento do Estado em um órgão de reconhecida atuação no Maranhão, mas que aos poucos foi perdendo este reconhecimento.

Se a queda só foi concretizada nesta sexta-feira (23), a fritura da presidente do Procon e o desgaste começou há algum tempo, envolvendo diversos episódios entre ela e seu namorado.  

Tudo começou lá atrás, quando um pedido de cassação de Duarte Jr foi destaque na mídia, onde a ex-presidente e atual deputado estadual, foram acusados do abuso de poder político e de autoridade em benefício da candidatura do comunista à Assembleia Legislativa, por meio de divulgação demasiada da publicidade institucional do Procon-MA para promover a imagem pessoal do agora parlamentar Duarte Jr (PCdoB).

A partir daí o reinado de Duarte começa a desmoronar aos poucos, levando a ele perder o poder que tinha nas mãos após ser o deputado estadual bem mais votado na capital maranhense.

Os escândalos envolvendo seu nome e o nome da atual presidente do Proncon na época, Karen Barros foi fatores decisivos para o desgaste politico prematuro.

Entre eles, a viagem da até então presidente do Procon,  Karen Barros, sem autorização para acompanhar Duarte Júnior, durante a Brazil Conference at Harvard & MIT 2019 nos Estados Unidos. Na época ela foi mais além, incomodada com os comentários sobre sua viagem, ela  chamou a população de ‘desavisados’.

 

Depois disso, vem às pisadas de bola do seu tutor, Duarte Júnior. Eleito levantando a bandeira de novas práticas políticas, foi acusado no início do seu mandato de ‘plágio’ ou seja copiar aquilo que já existe.

A 1ª delas envolveu o deputado de oposição César Pires (PV) e provocou forte constrangimento na Assembleia Legislativa. A segunda ocasião foi em relação a projeto de lei de autoria de Wellington do Curso (PSDB) e a terceira e mais recente provocou embaraço no Legislativo, depois dele ter tentado se apropriar de uma iniciativa de Zé Gentil (PRB).

Mas enfim, a queda de Barros só veio após o episódio marcante e surpreendente na Assembleia Legislativa, entre o namorado de Karen, deputado estadual Duarte Júnior (PCdoB), e o também deputado estadual Neto Evangelista.

Duarte Júnior (PCdoB) fez ataques ao presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), colocando em jogo o trabalho da comissão e de seu membros, segundo ele, Neto o atual presidente, estaria barrando seus projetos. A postura de Duarte gerou revolta entre os deputados. 28 deles assinaram documento reclamando do comunista.

A queda de Karen Barros já era um pedido de vários deputados estaduais, uma vez que eles estavam incomodados com a atuação desenvolvida em favor de Duarte Júnior, que é pré-candidato a prefeito de São Luís. Mas somente após o episodio envolvendo membros da CCJ e a atitude de Duarte Jr na Assembleia Legislativa, Karen foi definitivamente exonerada do cargo. 

A gota d’água veio após o episodio envolvendo a CCJ, quando a namorada de Duarte, Karen tomou as dores do comunista e repercutiu, nas redes sociais, os ataques proferidos por ele contra a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa.

A atitude infantil de Karen que já vinha na corda bamba a frente do órgão pegou mal entre os aliados do governador Flávio Dino e foi a gota d’água para sua exoneração.

Karen Barros fora do Procon, fragiliza Duarte Júnior, que agora pode perder uma militância aguerrida nas redes sociais, que estava lotada nos órgãos Procon/Viva. O fato é que sem o Procon nas mãos, Duarte Júnior nunca mais será o mesmo.

 A nova presidente do Procon, será a advogada Adaltina Queiroga, que tem em seu currículo dentro do governo Dino trabalhos na Casa Civil e Secretaria de Transparência e Controle.