O Ministério Público Eleitoral (MPE), por meio do Procurador Regional Eleitoral Hilton Melo, pediu a desaprovação das contas de campanha do ex-candidato ao Governo do Maranhão nas eleições de 2022, Lahesio Bonfim (Novo).

No documento, o MPE apontas falhas na prestação de contas do candidato, como a falta de apresentação do contrato e de documento que comprove a propriedade do imóvel pelo locatário, além da ausência de notas fiscais, amostras ou fotos digitalizadas dos materiais contendo CPF/CNPJ do fornecedor e tiragem legível, registro das doações estimáveis (de forma rateada) no caso de favorecimento a outros candidatos, e a apresentação de justificativa nos casos de transferências de recursos do FEFC a candidatos de outros partidos e/ou não cotistas.

Além da desaprovação de contas de Lahesio, o MPE quer ainda o recolhimento ao Tesouro Nacional dos valores de R$ 808.049,00 (por ausência de comprovação de despesas realizadas com recursos do FEFC) e R$ 25,01 (por sobra de campanha de gastos com impulsionamento de conteúdos), além de R$ 1.000,00 (utilização de recursos oriundos de fontes vedadas).

Lahesio disse acreditar na Justiça e que vai comprovar toda regularidade.

“O referido Parecer junto com toda minha prestação de contas, acompanhada dos argumentos legais e contábeis, serão julgados pelo egrégio Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão. Tenho convicção de que o desfecho da minha prestação de contas será positivo. Afinal, juntamos todos os documentos e justificativas necessários para a comprovação da total regularidade das nossas despesas de campanha. Ainda acreditando na justiça desse país, seguimos em frente!”, afirmou Lahesio em nota ao Blog do Giberto Leda.