Nesta quinta-feira (22), o prefeito de Cândido Mendes, Facinho, do PL, foi afastado do cargo em decorrência de uma ação popular que o acusa de fraude em um processo licitatório para a construção de uma estrada vicinal no valor de R$ 2,6 milhões.

A decisão foi proferida pela juíza Bruna Athayde Barros, da comarca de Bacuri, que atendeu ao pedido formulado na referida ação.

De acordo com os detalhes apresentados na ação popular, em setembro de 2023, a Prefeitura de Cândido Mendes lançou um edital para a construção de uma via no povoado Águas Bela.

Entretanto, já em novembro do mesmo ano, o resultado da licitação foi divulgado, revelando que a empresa RD Construções havia sido a vencedora do processo.

O aspecto controverso da situação reside no fato de que, segundo alegações na ação, a obra já estava em andamento antes mesmo da conclusão do processo licitatório, sendo iniciada pela mencionada empresa vencedora, a RD Construções.

Diante dessas circunstâncias, na ação popular foi requerido à Justiça não apenas a suspensão do contrato no valor de R$ 2,6 milhões, mas também o afastamento do prefeito Facinho por um período de 90 dias.