A participação da sociedade brasileira foi fundamental para a que Renan Calheiros sofresse uma fragorosa derrota.

O senador Renan Calheiros (MDB-AL), 63, retirou na tarde deste sábado (2) a candidatura à presidência do Senado após alguns senadores terem declarado em quem estavam votando.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, havia terminado que a votação deveria ser secreta, mas alguns senadores anunciavam nomes enquanto depositavam o envelope na urna – o que irritou Renan.

Os senadores anunciavam o seu voto com medo de sofrer represálias nas redes sociais, devido a grande participação dos Brasileiros, que usaram por meio das redes para protestar contra Renan.

Para ele, “esse processo não é democrático”. “Então, para demonstrar que esse processo não é democrático, eu queria lhes dizer que o Davi não é Davi, o Davi é o Golias. Ele é o novo presidente do Senado porque eu retiro minha candidatura. E eu não vou me submeter a isso”, disse Renan Calheiros, em tom inflamado.

Protestos contrários à candidatura do senador Renan Calheiros (MDB-AL) à presidência do Senado, reuniu milhares de manifestantes em diversos estados e cidades do País, além das redes sociais.