O Consórcio Estreito Energia (Ceste) emitiu na última quinta-feira, 23, uma nota alertando sobre uma provável elevação da vazão do Rio Tocantins nos próximos dias. Acontece que, com o aumento das chuvas, a Usina Hidrelétrica de Estreito precisará abrir as comportas, fazendo com que o volume excedente de água vá para o rio, uma vez que a usina não apresenta capacidade de regularização das vazões.

Esse é um processo normal para evitar sobrecarga das comportas. Quem deve ficar em alerta são as pessoas que  vivem às margens do rio Tocantins e quem for navegar pela região nos próximos dias.

Segundo a Ceste, os órgãos municipais e estaduais de Defesa Civil e segurança Pública são informados diariamente sobre as condições das vazões.

Veja a nota divulgada:

“O Consórcio Estreito Energia (CESTE), responsável pela operação da Usina Hidrelétrica de Estreito, vem informar que, segundo nossas previsões hidrometeorológicas, existe o indicativo de aumento de vazão para os próximos dias em virtude das precipitações já verificadas e previstas ao longo da bacia hidrográfica do rio Tocantins.

Em função deste possível evento, a UHE Estreito continuará agindo de forma segura e, obedecendo normas operacionais, mantendo os informes diários sobre condições de vazões defluentes da UHE Estreito aos órgãos Municipais e Estaduais de Defesa Civil e segurança Pública.

Ressaltamos que a Usina Hidrelétrica de Estreito opera por meio do conceito chamado ‘’Fio  d´agua’’, ou seja, não apresenta capacidade de regularização das vazões, sendo obrigada a repassar para a jusante sua vazão excedente, em virtude da ocorrência de precipitação.

Para mais informações e quaisquer dúvidas ou sugestões relacionadas ao Consórcio Estreito Energia e a usina Hidrelétrica Estreito disponibilizamos o telefone 0800-280-9191 e o endereço de e-mail atendimento@uhe-estreito.com.br.

Respeitando os seus valores Organizacionais, o CESTE reafirma seus compromissos de agir com ética, comunicar-se com transparência com a comunidade e respeitar as pessoas e o meio ambiente.”