O instituto Datavox Pesquisa de Opinião Pública e Estatísticas LTDA, foi proibido nesta sexta-feira (01), pela Justiça de divulgar uma pesquisa eleitoral com diversas irregularidades em Paraibano no interior do Maranhão.

A decisão foi do juiz Carlos Jean Saraiva Saldanha, titular da 53ª zona eleitoral, que atendeu um pedido da Comissão Provisória do União Brasil no município. Em sua decisão o magistrado citou diversas irregularidades que levou a pesquisa a ser impugnada, entre elas a ausência de dados entre outros.

Diante da proibição, a pesquisa que havia sido registrada na Justiça Eleitoral sob o número MA-04568/2024, teve sua divulgação suspensa. Porém o mesmo instituto, realizou o registro de uma nova pesquisa, também na sexta-feira, no dia em que teve a primeira pesquisa de Paraibano, suspensa.

A nova pesquisa foi registrada com o número MA-00747/2024, e foi paga por Jailson da Silva Aguiar. A mesma pessoa que pagou a primeira pesquisa com irregularidades, e que foi suspensa pela decisão da Justiça Eleitoral.