O inquérito que investiga a morte dos caciques Raimundo Guajajara e Firmino Guajajara, assassinados em um atentado registrado na BR-226, entre as aldeias El Betel e Boa Vista no município de Jenipapo dos Vieiras, no Maranhão, ainda não foi concluído e segue sob siglo, segundo a Polícia Federal. O crime completa um mês nesta terça-feira (7).

Dois índios ficaram feridos durante o ataque. Em um vídeo, um dos indígenas que sobreviveu contou que foi surpreendido por um veículo de cor branca que realizou disparos contra a moto onde ele e um dos caciques mortos estavam. A Fundação Nacional do Índio (Funai) disse que o crime poderia ter relação com os constantes assaltos registrados no trecho da BR-226.

Um dos indígenas que ficou ferido foi submetido a duas cirurgias para corrigir lesões na bexiga e intestino e ficou internado no Hospital Macrorregional de Presidente Dutra, localizado a 347 km de São Luís. O outro indígena sofreu ferimentos e chegou a ser levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Jenipapo dos Vieiras, mas foi liberado logo em seguida.