Apesar do art. 37, XVI da Constituição Federal vedar a acumulação remunerada de cargos públicos, exceto, quando houver compatibilidade de horários, essa prática parece não vigorar em Barra do Corda.
Mesmo quando o Ministério Público resolve agir, o famoso jeitinho brasileiro encontra meios de burlar a lei e continuar a prática criminosa. Senão, vejamos.

Em 11 de setembro, o Ministério Público do Maranhão através da 1ª Promotoria de Justiça da Comarca de Barra do Corda, denunciou, o vereador Alcenor Nunes Barbosa da prática ilegal de acúmulo de cargos e pede sua condenação, bloqueio de bens e o afastamento imediato do cargo na Câmara Municipal.

Com o famoso jeitinho, o vereador simplesmente saiu da folha da Secretaria de Educação, indo parar na discreta Secretaria de Planejamento Orçamento e Gestão, com a remuneração de apenas R$ 3.293,90, Alcenor é um aliado ferrenho de Eric Costa e seu irmão é um dos pré-candidatos do prefeito Eric Costa.

Já a vereador Graça do Ivan teve o mesmo destino, foi denunciada pelo MP por atuar na Câmara Municipal, ter dois cargos de professora, um no Estado e outro no Município. O caso chegou ao conhecimento do Ministério Público por meio de denúncia feita à Ouvidoria do órgão.

Curiosamente, teve o mesmo destino de Alcenor, recebendo salário bruto de R$ 1.644,61,

Outro caso, o da professora Maria Miria Araujo de Oliveira também chama a atenção, apesar de exercer o cargo de chefe do escritório local da AGERP, a servidora recebe R$ 4.500,00 pela Secretaria de Planejamento Orçamento e Gestão, que parece ser cada vez uma sucursal da Secretaria de Educação. Muito Estranho!