O vereador de São Luís Umbelino Junior, após visitar diversas unidades de saúde da capital e constatar a falta de Equipamento de proteção individual (EPI’s), para os profissionais da saúde durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19), foi até um galpão da Secretaria de Saúde, para fiscalizar, porém foi impedido de entrar, o que causou desconfiança.

O vereador solicitou apoio da Polícia Militar e só assim, conseguiu entrar no galpão, onde descobriu milhares de Equipamentos de proteção individual, o que causou um grande espanto. Segundo ele, mesmo com a grande quantidade de material em estoque e a falta deles nas unidades de saúde, a Prefeitura de São Luís, fez uma aquisição milionária com dispensa de licitação com uma empresa suspeita.

Segundo ele, após o município decretar situação de calamidade pública, pelo menos dois contratos foram firmados para a compra de materiais numa grande quantidade que até o momento não chegou no galpão, a qual ele só conseguiu entrar com apoio da PM.

A empresa PRECISION SOLUÇÕES EM DIAGNÓSTICOS LTDA, denunciada pelo vereador, que fez o contrato de quase R$ 3 milhões com a Prefeitura de São Luís, funciona em uma casa no bairro do Vinhas, sem nenhuma identificação. Segundo moradores locais, nenhuma movimentação é vista no local há meses, o que leva a uma grande suspeita de ser uma empresa de fachada para desviar recursos da saúde em combate ao coronavírus.

O contrato firmado n° 100/2020 confirma a compra de 270 mil unidades de máscara cirúrgica descartável tripla, filtragem superior a 95% em não tecido, o valor total dos materiais adquiridos chega a R$ 2.673.000,00.

Umbelino afirma que vai denunciar a suspeita de corrupção na saúde a Polícia Federal e um pedido de instauração de uma CPI, além do pedido de impeachment de Edivaldo Holanda Júnior.

“Irei dar entrada na Câmara Municipal de São Luís em um pedido de impeachment do prefeito de São Luís e a saída do Secretário. Estamos num momento crítico, delicado onde vidas estão se perdendo e o que estamos constatando é que o dinheiro público não está sendo aplicado. Nossa população precisa ser respeitada, a saúde tem que ser levada a sério e não iremos parar”, afirmou Umbelino Junior.