Na tarde desta quarta-feira (31), o ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, defende que furtos, delito de trânsito e “crimes relativos a patrimônio” não devem ser punidos com prisão.

A fala foi feita durante coletiva de sua despedida como ministro do Governo Lula. Amanhã (1º), Ricardo Lewandowski assume o lugar de Dino, que vai para o Supremo Tribunal Federal (STF).

“Punição não é igual a prisão”, afirmou o ministro ao comentar sobre ações para diminuir o crescimento da população carcerária no Brasil.

“Uma pessoa que eventualmente praticou um delito de trânsito, um furto. Mesmo situações envolvendo crimes relativos a patrimônio de um modo geral. Então imagino que seja por aí”, disse Dino ao defender prisão em casos de crimes hediondos e medidas alternativas para outros delitos.