A Polícia Civil do Maranhão (PC-MA) prendeu, na quarta-feira (1º), dois empresários suspeitos de serem mandantes do assassinato do corretor de carros, Ancelmo Nunes Franco, conhecido como ‘Cicinho’, que despareceu em agosto após vir ao estado cobrar uma dívida. A prisão aconteceu Teresina, no Piauí.

De acordo com a Polícia Civil, os dois empresários são do ramo de venda de veículos de Imperatriz, mas foram presos em Teresina. A suspeita é que um dos presos teria contratado o assassinato de Ancelmo Nunes por supor que a vítima estaria apaixonado por sua esposa.

Ancelmo Nunes Franco, conhecido como ‘Cicinho’

Ancelmo Nunes Franco desapareceu após ter vindo ao Maranhão cobrar uma dívida. Segundo a Polícia Civil, em 17 de agosto, ele estava próximo ao Terminal Rodoviário de Imperatriz, cidade no sul do Maranhão, quando foi colocado em um carro e levado para a zona rural da cidade.

A vítima foi morta pela dupla. Em seguida, os PMs enterraram o corpo de Ancelmo em uma cova rasa, próximo à uma ferrovia. Dias após a morte do corretor, o corpo dele foi esquartejado e carbonizado devido ao mau cheiro causado pela decomposição do corpo.

A dupla de policiais militares foi presa em 24 de agosto por suspeita de envolvimento no caso. Além dele, um terceiro homem também foi preso por participar do crime.

Após serem presos, a dupla de empresários foi encaminhada ao Sistema Prisional do Maranhão, onde vai permanecer à disposição da Justiça do Estado.