Diz a lenda que um navegador português, após ter se desviado de sua rota, esteve prestes a naufragar, em plena baía de São José, por causa de uma tempestade. Tendo invocado a intercessão do santo, o navegador viu a tempestade cessar. Grato pela ajuda de São José, trouxe de Portugal a imagem, cuja vestimenta lembra os navegadores portugueses, para a capelinha que prometera ao santo padroeiro, feita de frente para a baía, riba-a-mar, acima do mar.

O atual prédio da igreja matriz, o terceiro erigido no mesmo lugar, teve a construção iniciada em março de 1915, a primeira de alvenaria que manteve a igreja de pé até os dias atuais, cessando, assim, os mitos que cresceram em torno da queda das anteriores. Ao longo do tempo, a grande festa para celebrar o padroeiro foi fixada em setembro, de acordo com o calendário lunar, a partir das necessidades do povo e das condições naturais da região que favoreciam as romarias.

“A comunidade percebeu que as fortes chuvas e a ausência de luz em março prejudicariam as romarias, o comércio e as homenagens ao santo, daí surgiu a ideia de um momento no segundo semestre e no período da lua cheia. Assim, a iluminação natural poderia estender as quermesses noite adentro e também facilitar a chegada de romeiros por mar”, explica o pesquisador ribamarense Antônio Miranda.

A partir daí, a comunhão dos devotos com a Igreja aprimorou a festa. “É um grande momento de encontro e oração, que faz elevar índices econômicos, sociais e culturais da Cidade-Santuário”, pontua padre Cláudio Roberto, reitor do santuário. E explica ainda, “o tema que abordaremos ‘Amazônia: Igreja, missão e ecologia’ faz referência ao Sínodo para Amazônia, convocado pelo papa Francisco, para o próximo mês de outubro”. Continua ele, “São José de Ribamar, grande exemplo: protetor da Família de Nazaré ensinar-nos-a a cuidar da nossa região amazônica, da nossa fé e da nossa Igreja, como ardorosos missionários e servos de Deus”. O tema contempla também o Ano Missionário Arquidiocesano a iniciar em novembro deste ano.

Como habitual, o festejo é elaborado pelos párocos solidários, em comunhão com o governo episcopal da Arquidiocese e a comunidade paroquial de São José de Ribamar, que desde 2018 recuperou a tradição de celebrar o padroeiro em um mês de festa, costume datado da década de 30.

A festa tem seu pontapé com a lavagem do Santuário que ocorre sempre na quarta-feira anterior a abertura, este ano a 28 de agosto. Na ocasião ocorre também a coletiva de imprensa marcada para às 08h30. À noite, às 19h, missa de envio das equipes de trabalho do ano.

            Na programação missas, batizados, confissões, romarias, novenas, louvor, bênçãos de romeiros, objetos e veículos. A abertura oficial do Grande Festejo, em 01 de setembro, é marcada pela romaria da alvorada que parte da igreja matriz Sagrado Coração de Jesus, Moropóia, às 5h, em direção ao Santuário, onde ocorre santa missa às 06h.  Até o encerramento, haverá as romarias das comunidades (08), das crianças (14), da Pastoral da Sobriedade (14), do Terço dos Homens (15), no Dia Estadual/Municipal do Padroeiro do Maranhão (19), acontecerá a Romaria da Luz (19), e ainda, as Romarias da Juventude e Marítima (28).

A aguardada “Grande Romaria Caminho de São José de Ribamar” ocorrerá no dia 21 de setembro, com início às 19h na igreja matriz Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, na Cohab, e seguirá em direção ao Santuário Arquidiocesano, percorrendo toda a extensão da Estrada São José de Ribamar, rodovia MA-201. Na chegada, uma grande celebração campal acolherá os romeiros.

No dia 29, a Romaria de Encerramento sairá do Santuário às 16h, percorrerá a principal avenida da cidade, sendo concluída com santa missa campal.

Foto: Ribamar Carvalho

Organização da Festa e Peregrinações do Pré-Festejo

A preparação do festejo inicia normalmente após a festa de São José do mês de março, com a organização das equipes, da programação do Festejo e das peregrinações do pré-Festejo. Após esta fase, em julho, a imagem peregrina de São José de Ribamar percorre diversos lugares (paróquias, santuários, comunidades, cidades, instituições e famílias), evangelizando e convidando os romeiros para a grande festa de setembro.

Romaria “Caminho de São José de Ribamar” – 21.09

As homenagens a São José de Ribamar iniciaram ainda no século XVII, quando se registra a fundação da cidade. “Quando os primeiros padres chegaram a São José de Ribamar, por volta de 1618, já encontraram as imagens da Sagrada Família com os índios que viviam no lugar”, conta o pesquisador Antônio Miranda. Porém, o primeiro registro de uma grande romaria só surgiu em 1821.

No ano de 2001, as imagens de São José de Ribamar foram levadas para São Luís, a fim de passar por restaurações. Nesta oportunidade, a comunidade ribamarense, unida aos romeiros e peregrinos, realizou a primeira grande romaria, que mais tarde receberia o nome de “Grande Romaria Caminho de São José de Ribamar”.

Romaria Marítima – 28.09

Esta romaria iniciou exatamente no dia 16 de setembro de 2000. Faz alusão à chegada do santo por mar. “Na complementação festiva do ano 2000, a comunidade promoveu um desfecho de grande repercussão, que foi a romaria marítima”, lembra o pesquisador Antônio Miranda.

Romarias das Crianças e da Juventude – 14/28.09

Estas romarias surgem com o objetivo de envolver crianças e jovens. “Nós não somos uma Igreja só de adultos e idosos, somos uma Igreja completa, por isso esses momentos de caminhada e oração”, explica o reitor, padre Cláudio Roberto. A romaria da juventude conta com uma programação cultural diversa para acolher os jovens romeiros. “Essa programação é um momento de valorização dos jovens que participam de toda a programação do festejo, seja na liturgia, nos ministérios de música, na guarda de São José ou em outras equipes que contribuem com a festa do Padroeiro do Maranhão”, pontua o vice-reitor do Santuário, padre Gutemberg Feitosa.

Romarias das Comunidades e da Luz – 08/19.09

O propósito da primeira é reunir as várias comunidades do entorno para que sejam parte da festa e as inspire a peregrinar em comunhão ao Santuário. A segunda é a novidade do ano, e marcará a celebração do Dia Estadual/Municipal de São José de Ribamar Padroeiro do Maranhão, data que consta oficialmente no calendário do Estado do Maranhão desde 2017.

Rito de descida da imagem e romaria de encerramento – 28/29.09

A romaria de encerramento marca não só o encerramento do grande festejo com os romeiros do padroeiro como é a última romaria dentro do período oficial da festa. Esta romaria ganha um diferencial, pois é a única que ocorre com a imagem principal do padroeiro. No dia anterior ao encerramento, a imagem é retirada do seu oratório original pelos párocos, diante dos olhos dos romeiros, no chamado Rito de Descida da Imagem que ocorre este ano dia 28, às 20h30.

 

 

 

 

 

Fonte: Redação Educadora