O Serviço Móvel de Urgência (SAMU) atendeu a 5.743 Ocorrências em Imperatriz, no período de janeiro a junho de 2022, sendo uma média de 1.149 atendimentos por mês. Deste total, 56% foram casos clínicos, 22% traumas e 13% os registros de chamados para transferências inter-hospitalares.

Diante deste cenário de urgência e emergência, outro número também chama atenção. A estatística do Samu mostra que em 9% das ocorrências houve envio de ambulância onde não tinham pacientes, paciente removido por outros meios, paciente que não quis ser atendido ou era trote.

“São situações que de certa forma influenciam no trabalho das equipes e no atendimento a quem de fato precisa dos serviços. Quando temos um chamado, não é só o envio da ambulância é a mobilização de vários profissionais. Lamentamos que ainda precisamos lidar, principalmente, com os trotes”, explica o secretário de Saúde, Alcemir Costa.

Os atendimentos clínicos envolvem hipoglicemia, hiperglicemia, Covid-19, picos hipertensivos, entre outros. Os traumas contabilizam ferimento por arma branca, por arma de fogo, agressões físicas e acidentes de trânsito. Este último, sozinho, representa 15%, o que correspondente a média de cinco atendimentos por dia.

Acidentes

Quando se tratam dos acidentes de trânsito, os dados do Samu mostram que no primeiro semestre foram 912 vítimas; 88% envolveram motos, 37% pessoas de 19 a 29 anos, ou seja, jovens; 64% do sexo masculino e 36% ocorrem no final de semana.

A estatística mostra ainda os locais com maior número de ocorrências. Na sequência estão: BR-010, Centro, Bacuri, Nova Imperatriz e Avenida Pedro Neiva de Santana.