A situação do presidente da Câmara de São Luís, Paulo Victor (PSDB), tem se complicado cada vez mais.

O presidente da casa legislativa, acusou no início desta semana. Um promotor de São Luís, de extorsão e afirmou ter contratado parentes do mesmo para tentar barrar investigações.

O Ministério Público do Maranhão se manifestou nesta quarta-feira (06). Em nota o órgão destacou que a fala de Paulo Victor, evidencia crime de corrupção passiva por parte do presidente. Já que o mesmo teria nomeados pessoas para receber salários na Câmara Municipal de São Luís, sem trabalhar.

A nota também destaca, que Paulo Victor, deve ser alvo de uma investigação criminal.

Após o vereador relatar durante seu pronunciamento no plenário da Câmara, que teve acesso a investigações sigilosas, que supostamente resultaria em busca e apreensão contra ele. A investigação seria referente a contratos milionários na Secretaria de Estado e Cultura, no período em que ele foi secretário.

Em meio ao escândalo envolvendo Paulo Victor, uma fala chamou atenção. O presidente chegou afirmar que se não retirasse sua candidatura a prefeito de São Luís, estaria preso. “Se eu não deixasse de ser candidato a prefeito, eu já estaria preso uma hora dessas” disse Paulo Victor.

O presidente tenta atribuir as investigações a perseguição política. Mas por outro lado, parece que sua situação só se complica a cada dia mais.